OAB sai em defesa de jornalistas que incitaram suicídio de Bolsonaro

Felipe Santa Cruz

A OAB classificou de “intimidação da imprensa” a abertura de inquérito contra os jornalistas Ruy Castro e Ricardo Noblat, que incitaram o suicídio do presidente Jair Bolsonaro.

Em nota divulgada pelo Observatório de Liberdade da Imprensa da Ordem dos Advogados, eles afirmam:

“A abertura de investigações policiais sobre artigos escritos pelos jornalistas Rui Castro e Ricardo Noblat é mais uma atitude deste governo de intimidação da imprensa e contra a liberdade de expressão. Criminalizar opiniões, parábolas ou críticas ao governante não é admissível dentro do estado de direito. Goste-se ou não dos artigos, é preciso maturidade democrática para conviver com críticas”.

Ruy Castro é autor da coluna “Saída de Trump: mate-se”, publicado na Folha de São Paulo. O artigo sugere que, depois da invasão ao Capitólio, o presidente norte-americano deveria tirar a própria vida, para tentar virar mártir, ao final do mandato, tal como Getúlio Vargas.

O jornalista também incitou o suicídio de Jair Bolsonaro. “Se Trump optar pelo suicídio, Bolsonaro deveria imitá-lo. Mas para que esperar pela derrota na eleição? Por que não fazer isso hoje, já, agora, neste momento? Para o bem do Brasil, nenhum minuto sem Bolsonaro será cedo demais”.

O jornalista de esquerda Ricardo Noblat, da Veja, reproduziu o trecho em questão e foi criticado nas redes sociais, que pedem a exclusão de sua conta pelo discurso de ódio. De acordo com o Ministro da Justiça André Mendonça, alguns jornalistas chegaram ao “fundo do poço” por desrespeitar a dor da famílias que perdem pessoas para o suicídio.

Participe do nosso canal no Telegram e receba todas as notícias em primeira mão. CLIQUE AQUI