Na saída de hospital, Bolsonaro empareda Barroso: ‘Quer derrubar o governo?’

Na manhã deste domingo (18), na porta do Hospital Vila Star, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o voto impresso auditável. O mandatário ainda acusou o ministro Luís Roberto Barroso de ativismo.

“Não entendo por que não querem o voto auditável. Será que esse voto eletrônico é usado no mundo todo? É tão confiável assim?” — questionou o presidente. “Tenho certeza de que a maioria de vocês não acredita no voto como está aí. As coisas evoluem. É igual banco. Eles buscam maneiras de evitar que hackers e bandidos entrem [no sistema].”.

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Barroso é um dos principais opositores ao voto impresso e defensor da confiabilidade das urnas eletrônicas.

Leia mais:  Pabllo Vittar diz que espera cantar na posse de Lula

“Por que a vontade doida do [Luís Roberto] Barroso de manter o sistema como está?” — perguntou Bolsonaro, ao lembrar que o sistema atualmente utilizado no Brasil “é dos anos 1990”. “A apuração tem que ser também pública. Temos que afastar aquela história de que quem ganha eleição não é quem vota, mas quem conta os votos. […] Por coincidência, quem faz o maior ativismo contra o voto auditável é o ministro Barroso, presidente do TSE.”

“Querem derrubar o governo? Já disse: só Deus me tira daquela cadeira. Será que não entenderam que só Deus me tira daquela cadeira? Se aparecer corrupção em meu governo, serei o primeiro a buscar maneiras de apurar e deixar na mão da Justiça para que esse possível responsável seja punido” — complementou.

Leia mais:  Marinha leva 40 respiradores para Manaus

O presidente recebeu alta na manhã deste domingo (18). Ele ficou internado no hospital paulista durante 4 dias após apresenta um quadro de obstrução intestinal.

Participe do nosso canal no Telegram e receba todas as notícias em primeira mão. CLIQUE AQUI