Renan Calheiros sai em defesa de Lula: “Em 2022, não teremos dois extremos, mas um só, o Bolsonaro”

Renan

Alvo de processos de corrupção no STF, Renan Calheiros assumiu o papel de líder da esquerda brasileira no senado ao se tornar relator da CPI da Covid. Desde então vem sendo elogiado pela mídia, por políticos e militantes.

Em entrevista ao El País, ao comentar sobre o encontro de FHC e Lula, dois ex-presidentes que trocaram acusações de corrupção ao longo das últimas décadas, Renan viu com naturalidade a aliança dos dois e alfinetou o atual mandatário Bolsonaro, que ontem deu mais uma prova de sua força de popularidade com uma enorme manifestação no Rio de Janeiro, que acabou irritando a oposição.

Renan não esconde sua predileção por Lula, ex-presidente que chegou a ser preso por corrupção e lavagem de dinheiro, depois “inocentado” pelo STF.

“Eles nunca foram inimigos. Fui ministro da Justiça do Fernando Henrique Cardoso e certa vez eu recebi no ministério o Lula para tratar de um sequestro de um empresário de São Paulo na véspera de uma eleição presidencial. Ou seja, em todos os momentos, mesmo divergindo, eles sempre conversaram. E essa conversa é muito boa. Porque ela demonstra que, nesse processo político de 2022, nós não teremos dois extremos, nós teremos um extremo só, o do presidente Bolsonaro. Os outros atores deverão conversar, o que é muito bom para a democracia.”, disse Renan.

Participe do nosso canal no Telegram e receba todas as notícias em primeira mão. CLIQUE AQUI
Relacionados:  Ferrovia de Integração do Centro-Oeste terá construção iniciada